0 43

O papel das moedas digitais na economia global

As organizações governamentais em todo o mundo, assim como as privadas, têm atitudes diferentes quando se trata de regular o mercado de criptomoedas. É um dos assuntos mais debatidos e não há solução perfeita. Essa questão está se tornando mais visível, e mesmo nos EUA, legisladores, reguladores e empresas privadas não conseguem chegar a um acordo. É um fato bem conhecido que há um grande número de criptomoedas. No entanto, apenas algumas moedas digitais, como o Bitcoin e o vindouro projeto Libra, atraem a atenção dos legisladores. Isso não é necessariamente uma boa notícia para o futuro das criptomoedas.

Projeto Libra do Facebook e o Bitcoin

Investidores e pessoas familiarizadas com moedas digitais sabem que o Libra vem enfrentando questionamentos de vários órgãos reguladores. O Facebook, em seu último relatório trimestral, mencionou vários problemas relacionados ao projeto Libra. Assim, a empresa alertou que poderia adiar o lançamento da criptomoeda.

Há chances de que o Facebook não consiga lançar o projeto Libra. Segundo o plano original, o Libra deveria estar disponível em 2020. No entanto, devido aos desafios legais, é difícil afirmar com certeza que o lançamento do Libra seguirá a meta inicial. O Facebook escreveu em seu registro na Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos que o projeto está sob escrutínio. Não é a primeira vez que o Libra enfrenta problemas. Por exemplo, David Marcus teve que enfrentar perguntas difíceis em sua visita ao Congresso.

Marcus é o chefe do projeto de moeda digital do Facebook. Segundo ele, essa nova moeda digital oferecerá uma ferramenta alternativa de pagamento para os clientes. Ele afirmou que o Libra é uma alternativa segura e de baixo custo para pessoas que não podem pagar pelos métodos tradicionais.

Os problemas com o Libra também afetaram outras moedas digitais, incluindo o Bitcoin. O preço desta criptomoeda caiu 2,6% para US$ 9.517 na terça-feira. O Litecoin caiu 1,6%, para US$ 89,133. O preço de outra criptomoeda, o Ethereum, também caiu em 3,3%, para US$ 205,25. Isso aconteceu às 04:15 GMT.

Mercado chinês e moedas digitais

A China é um mercado típico quando se trata de moedas digitais. Por um lado, a China proibiu as negociações de Bitcoins em 2017. Por outro lado, há várias semanas, o tribunal chinês reconheceu a criptomoeda como uma propriedade digital. No entanto, vale mencionar que 60% da capacidade de processamento total do Bitcoin está concentrada na China.

O banco estatal da China é o quarto maior banco do mundo em ativos. Este banco criou um infográfico sobre o Bitcoin. O objetivo deste infográfico é aumentar a conscientização sobre as criptomoedas. Além disso, o banco quer ajudar as pessoas a entenderem como essa indústria opera de forma geral.

A China tem o potencial de afetar significativamente o mercado de criptomoedas. O investimento em cripto pode se tornar um negócio lucrativo para sua vasta população. Segundo vários relatos, o Banco Central da China planeja criar uma criptomoeda oficial do Estado.

As moedas digitais atraem as pessoas porque oferecem um sistema descentralizado. Isso significa que não há banco central que controle o sistema. Além disso, as criptomoedas criadas pelos bancos centrais terão uma estrutura diferente. Isso pode reduzir o interesse de potenciais investidores. Regulamentações rigorosas afetaram o Libra. Esse é um exemplo de que criptomoedas excessivamente reguladas podem criar problemas adicionais.

  • Support
  • Platform
  • Spread
  • Trading Instrument
Comments Rating 0 (0 reviews)

Receba as últimas notícias sobre economia, negociação e forex na Finance Brokerage. Confira nossas instruções de negociação abrangentes e a lista das melhores corretoras de forex. Se você estiver interessado em acompanhar as últimas notícias sobre o Mercado Financeiro, por favor, siga Finance Brokerage noGoogle News.

Deixe sua opinião

Sending

Inscreva-se e receba nosso boletim de notícias

Receba as melhores notícias da Finance Brokerage diretamente no seu e-mail. Inscreva-se agora para receber as últimas notícias do mercado.