0 11

O ouro sobe enquanto o dólar cai 

O ouro subiu na manhã de terça-feira nas commodities asiáticas à medida que o dólar recuava. O metal amarelo subiu 1% depois que o dólar teve seu pior dia em quinze dias.

A negociação asiática empurrou o ouro ainda mais alto à medida que o diferencial cambial entrou em pleno efeito. Tornando-o mais barato para moedas diferentes do dólar.

Os contratos futuros de ouro ganharam 0,61%, a US$ 1.975,75, uma alta de 12 dias.

O Dow Jones subiu na expectativa de uma vacina para o COVID-19. A NASDAQ devolveu um pequeno território após suas recentes quedas grandes, mas foi plana na melhor das hipóteses.

Os mercados asiáticos caíram enquanto os investidores esperavam os resultados de uma reunião de política do Federal Reserve dos EUA, prevista para quinta-feira. Os investidores aguardavam decisões políticas tanto do Banco da Inglaterra quanto do Banco do Japão, também previstas para quinta-feira.

O ouro ganhou vantagem a partir deste intervalo, mas o metal precioso foi impulsionado principalmente por um dólar em queda rápida.

O Comitê Bancário do Senado disse que o presidente do Fed, Jerome Powell, e o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, vão depor perante a comissão de alívio COVID-19.

O Brexit continua em um caminho de incerteza com o parlamento britânico votando por medidas que podem violar o direito internacional, no tocante à fronteira compartilhada da República da Irlanda e a Irlanda do Norte.

 

Commodities de ouro e petróleo

Em commodities energéticas, o petróleo Brent permanece abaixo de US$ 40 por barril. Isso apesar de um ligeiro aumento, à medida que os investidores aguardam os resultados da reunião da OPEP+ desta semana.

Anteriormente a OPEP reduziu suas previsões de demanda e alertou para o excesso de oferta contínuo, à medida que a Líbia reabre suas instalações petrolíferas. Esses fatores também são animadores para as perspectivas do ouro.

O aumento dos casos de COVID-19 e a redução da atividade econômica global são um obstáculo para o valor do ouro.

Quanto a outras notícias de commodities, a Royal Dutch Shell vê seu gás natural liquefeito como o centro de seus planos de longo prazo. Isso também inclui suas aquisições de “novas energias”, disse o presidente da unidade australiana na terça-feira.

A maior companhia petrolífera da Europa visa zero emissões líquidas de suas operações até 2050 e planeja uma grande reestruturação. A Shell ainda vê o gás como uma parte crucial da sua estratégia. Tem cerca de um quarto de seus ativos de gás na Austrália.

Em julho, a Shell reservou US$ 11 bilhões em desvalorizações do seu negócio de gás. Isso foi principalmente da sua plataforma flutuante australiana Prelude FLNG (gás natural liquefeito) e os negócios da QGC, depois de cortar sua perspectiva de preço de petróleo e gás a longo prazo.

A Shell adquiriu a QGC a partir da sua aquisição de US$ 54 bilhões do BG Group em 2016. Produz gás no estado nordeste de Queensland e administra a fábrica de GNL de Queensland Curtis. Foi o maior contribuinte na produção de 35,6 milhões de toneladas de GNL da Shell em 2019.

Comments Rating 0 (0 reviews)

Receba as últimas notícias sobre economia, negociações e Forex no Finance Brokerage. Confira a nossa extensa seção de educação em negociações e lista das melhores corretoras de Forex aqui. Inscreva-se agora e receba atualizações GRATUITAS sobre o mercado hoje!

Deixe sua opinião

Sending

Inscreva-se e receba nosso boletim de notícias

Receba as melhores notícias da Finance Brokerage diretamente no seu e-mail. Inscreva-se agora para receber as últimas notícias do mercado.