0

 

EURUSD e GBPUSD: de volta a 2002

 

  • O euro enfraqueceu fortemente em relação ao dólar durante as negociações asiáticas.
  • A libra esterlina enfraqueceu em relação ao dólar durante o pregão asiático.
  • O setor privado da zona do euro cresceu menos do que o esperado em junho.

 

Análise do gráfico para EURUSD

O euro enfraqueceu fortemente em relação ao dólar durante as negociações asiáticas. Além disso, ontem foi anunciado que a balança comercial da Alemanha com o exterior caiu em déficit pela primeira vez desde 1991. Isso ocorreu devido às repercussões e perspectivas de uma longa guerra na Ucrânia, a possibilidade de recessão e a suspensão do fluxo de gás natural russo. Com esses cenários, as fracas perspectivas econômicas da União Europeia (UE) são demasiado difíceis para a moeda comum europeia. 

O euro está sendo negociado a US$ 1,02950, ​​o que representa um enfraquecimento da moeda comum europeia em 1,20% desde o início das negociações na noite passada. A mínima desta manhã foi formada no nível 1,02800, e a última vez que estivemos lá foi em 2002. Assim, para opção de baixa, precisamos de uma continuação dessa consolidação negativa e nossos alvos potenciais mais baixos são os níveis de 1,02500 e 1,02000.

Já para uma opção de alta, precisamos agora de uma nova consolidação positiva e nos manter acima do nível 1,03000. Depois disso, precisamos de um impulso de alta primeiro para o nível 1,03500, depois para 1,04000, a próxima resistência potencial. 

 

Análise do gráfico para GBPUSD

A libra esterlina enfraqueceu em relação ao dólar durante o pregão asiático. Enquanto isso, os desacordos pós-Brexit com a UE sobre o status da Irlanda do Norte, o fortalecimento dos rendimentos do Tesouro dos EUA e a instabilidade política doméstica estão pesando sobre a libra já fraca. 

Dessa forma, a libra está sendo negociada a US$ 1,20400, o que representa um enfraquecimento da moeda britânica em 0,53% desde o início das negociações na noite passada. Já no início da sessão europeia, a moeda continuou desvalorizando fortemente e caiu de 1,21250 para 1,20225. Por enquanto, temos suporte imediato nesse nível. Assim, para uma opção de baixa, precisamos de uma continuação da consolidação negativa e um teste da zona de suporte de 1,20000. Se o enfraquecimento continuar, uma quebra abaixo é inevitável e os potenciais alvos de suporte mais baixos são os níveis de 1,19500 e 1,19000. 

Entretanto, para uma opção de alta, precisamos de uma nova consolidação positiva e um retorno à zona em torno de 1,21000. Depois disso, uma recuperação adicional pode ser vista primeiro para 1,21500, depois para a zona de resistência de 1,22000.

 

Visão geral do mercado

O setor privado da zona do euro cresceu menos do que o esperado em junho, com a produção manufatureira caindo pela primeira vez em dois anos, por um lado, e a atividade de serviços ficando mais fraca, por outro, mostraram os resultados finais da pesquisa da S&P Global nesta terça-feira.

O PMI composto caiu para 52,0 em junho, de 54,8 no mês anterior. A leitura ficou ligeiramente acima de 51,9 e o resultado sinalizou o menor ritmo de crescimento consecutivo nos últimos 16 meses.

Assim, uma forte deterioração na taxa de crescimento da atividade empresarial da zona do euro aumenta o risco de que a região entre em uma recessão econômica no terceiro trimestre, informou Chris Williamson, economista-chefe de negócios da S&P Global Market Intelligence.

Williamson também observou que a leitura do PMI de junho indicou uma desaceleração no crescimento trimestral do PIB para apenas 0,2%.

Além disso, o setor privado alemão perdeu mais do seu ímpeto de crescimento em junho. O índice composto final S&P Global/BME caiu para 51,3 em junho, confirmando a previsão dos economistas, mas abaixo dos 53,7 de maio.


  • Support
  • Platform
  • Spread
  • Trading Instrument
Comments Rating 0 (0 reviews)


você pode gostar também

Leave a Reply

User Review
  • Support
    Sending
  • Platform
    Sending
  • Spread
    Sending
  • Trading Instrument
    Sending