alexa certify
0

Ações globais limitadas enquanto o risco de negociação diminui as esperanças com taxas

Ásia: Na quinta-feira, os preços das ações estavam em estado de alerta devido ao temor de que o conflito comercial dos EUA com o México enfraqueça ainda mais o crescimento global, com os bancos centrais tendo que responder com novos incentivos.

O índice mais amplo da MSCI para as ações da Ásia-Pacífico fora do Japão caiu 0,2% no comércio frágil. O Nikkei do Japão terminou praticamente estável e os blue-chips de Xangai diminuíram 0,6%.

Os futuros do E-Mini para o S&P 500 caíram 0,1%, enquanto os futuros do FTSE subiram 0,03%.

A atenção estava no setor automotivo europeu por reagir à decisão da Fiat Chrysler de retirar sua oferta de fusão de 35 bilhões de dólares para a Renault (PA: RENA).

O sentimento piorou mais cedo na Ásia depois que uma reunião entre autoridades norte-americanas e mexicanas terminou com poucos sinais de progresso.

Os mercados mexicanos sofreram outro golpe quando a agência de classificação Fitch rebaixou o rating de crédito do país para BBB, enquanto a Moody’s mudou sua perspectiva de estável para negativa.

Tudo isso levou o dólar a aumentar 0,9% contra um peso mexicano ameaçado.

“Achamos que os mercados descontam as ameaças de Trump em assuntos comerciais e de imigração por sua própria conta e risco”, disse Libby Cantrill, chefe de políticas públicas da PIMCO.

“Nós estimamos que as tarifas mais altas aplicadas recentemente sobre os produtos chineses custarão à economia dos EUA cerca de 0,3% de pontos do PIB, e se os aumentos das tarifas mexicanas atingirem os 25%, nossa estimativa pode dobrar”.

Na quarta-feira, Wall Street ainda havia terminado com lucro, mas apenas porque os investidores avaliaram que a Reserva Federal teria que cortar as taxas como seguro contra uma desaceleração.

O desejo por um estímulo é tão grande que uma leitura desanimadora sobre os empregos no setor privado dos EUA foi recebida com alegria, já que isso parecia contribuir com um alívio antecipado.

Os rendimentos de dois anos do Tesouro atingiram o menor nível desde dezembro de 2017 em resposta, enquanto os futuros ficaram com os preços em cerca de 68 pontos-base de flexibilização até dezembro.

Na quarta-feira, o Dow terminou aumentando 0,82%, enquanto o S&P 500 subiu 0,82% e o Nasdaq 0,64%.

Trump ameaça a China com tarifas sobre mais $300 bilhões em mercadorias

O presidente dos Estados Unidos, Trump, ameaçou impor à China tarifas de “pelo menos” mais $300 bilhões em mercadorias chinesas. Mas, segundo ele, o México e a China querem fazer acordos sobre suas disputas comerciais com os EUA.

As tensões entre as duas maiores economias do mundo aumentaram acentuadamente desde que as negociações destinadas a pôr fim a uma guerra comercial fracassaram no início de maio.

Como resultado, Trump aumentou drasticamente as tarifas de uma lista de $200 bilhões em produtos chineses para 25%, o que levou Pequim a retaliar.

“Eu poderia aumentar para, pelo menos, mais $300 bilhões e farei isso na hora certa”, disse Trump a repórteres na quinta-feira, sem especificar quais mercadorias poderiam ser afetadas.

O Ministério do Comércio da China também disse na quinta-feira que Pequim teria que adotar as contramedidas necessárias caso Washington aumente unilateralmente as tensões comerciais. Ele acrescentou que a pressão dos EUA causou sérios contratempos nas discussões comerciais.

Na quarta-feira, o Fundo Monetário Internacional alertou que a escalada das ameaças tarifárias estava minando a confiança dos negócios e do mercado. Isso poderia desacelerar o crescimento global que se espera que melhore no ano que vem.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, deve se reunir com o governador do Banco Popular da China, Yi Gang, neste final de semana, em uma reunião de líderes financeiros do G20 no Japão. É a primeira discussão cara a cara entre os principais negociadores em quase um mês.

Autoridades mexicanas e norte-americanas também devem retomar suas negociações em Washington na quinta-feira. O objetivo é evitar uma imposição de tarifas sobre os produtos mexicanos.

Segundo Trump, o México fez progresso nas conversas, mas ainda precisaria fazer mais.

Ele reiterou que as tarifas de 5% sobre todas as exportações do México para os Estados Unidos, que devem começar na segunda-feira, serão implementadas se não houver progresso. As tarifas podem subir até 25% no final do ano.

  • Support
  • Platform
  • Spread
  • Trading Instrument
User Review
  • Support
    Sending
  • Platform
    Sending
  • Spread
    Sending
  • Trading Instrument
    Sending

Receba as últimas notícias sobre economia, negociação e forex na Finance Brokerage. Confira nossas instruções de negociação abrangentes e a lista das melhores das melhores corretoras de forex. Se você estiver interessado em acompanhar as últimas notícias sobre o Mercado Financeiro, por favor, siga Finance Brokerage no Google News.



você pode gostar também

Leave a Reply

Financebrokerage